Inicio del centenario en Brasil

La semana del 10 al 14 de septiembre, en las distintas Casas de la Provincia de Brasil, está teniendo lugar la apertura del Centenario de la presencia de la Congregación en este país.

El día 29 de septiembre de 1913 desembarcaron en Rio de Janeiro las 4 primeras Esclavas, iniciándose así un camino de anuncio del Amor personal de Cristo en la tierra brasilera.

Al acercarse los 100 años de presencia en esta tierra, una acción de gracias profunda brota desde el corazón de cada Esclava, por haberse hecho realidad las palabras de Marcelo Spínola: “…trabajando sin cesar, sacrificándose y buscando, aunque sea preciso ir allende los mares, almas que a Dios conozcan y glorifiquen también.”

Oração do Centenário

“Como o Pai me amou, eu também vos amei.
Permanecei no meu amor.”
Senhor nosso Deus, bendizemos o seu nome
porque não esquecemos nenhum de seus favores
com a CONGREGAÇÃO DAS ESCRAVAS DO DIVINO CORAÇÃO
nesses 100 ANOS, aqui no BRASIL.
“Permanecei no meu amor!”
Eis a condição que o Coração de Cristo, seu filho amado,
foi nos indicando nesse caminhar, permanecendo junto conosco, suas filhas,
sustentando-nos em todos os momentos e em tantos desafios,
desde a chegada das primeiras Escravas ao Brasil até hoje.
Senhor, somos felizes porque escutamos o seu chamado:
“não podeis dar frutos... Se não permanecerdes em mim”.
Agradecemos pela sua companhia em nossos trabalhos apostólicos:
pela missão nas Escolas, nas Obras Sociais e nas diversas pastorais,
na relação com os colaboradores e colaboradoras,
com aqueles e aquelas com quem partilhamos a nossa missão.
Nesse caminho que percorremos não nos faltaram “podas”
que nos ajudaram a crescer no amor e na entrega.
Pedimos, Senhor, que envie sobre nós o seu Santo Espírito.
Permaneça sempre conosco com as bênçãos e as graças de que precisamos
para manter viva  e renovar a chama de nosso Carisma
em fidelidade aos fundadores e ao “Permanecei no meu amor.”
Pedimos a Maria, nosso modelo,
que nos ajude a cumprir inteiramente a vontade do Pai,
renovando e santificando o nosso ser de Escrava.